Brasil participa de reunião para fortalecimento da CAF

Importante fonte de financiamento para o Brasil, Banco de Desenvolvimento da América Latina vai apoiar retomada da economia dos países acionistas

Os secretários Roberto Fendt e Erivaldo Gomes representaram o Brasil na reunião da CAF. Foto: Divulgação/ME 

O Brasil participou, na terça e na quarta-feira (6 e 7/12), da reunião da Diretoria Executiva do Banco de Desenvolvimento da América Latina (CAF), realizada presencialmente na cidade colombiana de Cartagena das Índias. O governo brasileiro foi representado pelo secretário especial de Comércio Exterior e Assuntos Internacionais, Roberto Fendt, e pelo secretário de Assuntos Econômicos Internacionais, Erivaldo Gomes.

No encontro, foram discutidos o fortalecimento patrimonial da instituição, melhorias na estrutura de governança do banco e o direcionamento estratégico para a atuação da CAF nos próximos anos, a fim de apoiar os países acionistas na retomada do desenvolvimento após a crise provocada pela pandemia de Covid-19.

A carteira de projetos em execução da CAF no Brasil soma aproximadamente US$ 3,940 bilhões, dos quais US$ 2,740 bilhões no segmento com garantia soberana e US$ 1,2 bilhão sem essa garantia. As principais áreas de atuação da instituição no Brasil são desenvolvimento urbano, mobilidade e desenvolvimento social (no segmento soberano) e linhas de crédito para o setor financeiro (no segmento não soberano).

Agenda de retomada

Com o fortalecimento do patrimônio aprovado na Colômbia, a agenda da CAF para a retomada do desenvolvimento prevê ações nas áreas de financiamento de programas e projetos de investimento público e privado, a mobilização de recursos de terceiros e o redirecionamento do crédito ao setor privado, além do apoio ao orçamento de forma anticíclica. A CAF também ajudará na gestão do conhecimento e na assistência técnica, promoverá a adoção de uma agenda de transformação digital e dará mais foco a questões de gênero, diversidade e inclusão.

Outra medida prevista é a destinação de US$ 25 bilhões para a CAF se tornar o Banco Verde da América Latina nos próximos cinco anos. O objetivo da instituição é apoiar operações que ajudem os países da região a aumentar a resiliência climática, promover a transição energética, obter baixo crescimento da emissão de gases de efeito estufa e fortalecer a conservação dos ecossistemas naturais e da biodiversidade. A estimativa é de que o financiamento verde da instituição suba de 24% em 2020 para 40% em 2026, com operações alinhadas aos objetivos do Acordo de Paris.

Sobre a CAF

A CAF é uma das mais importantes fontes de financiamento externo para o Brasil, atrás somente do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). Entre 2016 e 2020, a CAF aprovou um montante de US$ 7,3 bilhões de financiamento para o país.

Constituída em 1970 e composta atualmente por 19 países – 17 da América Latina, além de Portugal e Espanha – e 13 bancos privados, a CAF é uma das principais fontes de financiamento multilateral para a região, com aprovações anuais que ultrapassam US$ 14 bilhões para o desenvolvimento e integração regional. Desde o início de suas operações, a Instituição aprovou mais de US$ 200 bilhões em projetos de desenvolvimento para os latino-americanos.

O Brasil participa como membro pleno do Banco desde 1997 e mantém estreitas relações com o organismo.

Fonte:* Com informações da assessoria de comunicação da CAF

Por (LCN) @luiscelsoborges

luiscelsoborges@hotmail.com

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios