ATO HERÓICO DE UM CAPITÃO DE LONGO CURSO DA MARINHA MERCANTE BRASILEIRA.

Coluna ¨Convés Principal¨- CLC - Ricardo Monteiro

CLC José Menezes Filho ao lado do colunista

Sem dúvida nenhuma o Capitão de Longo Curso José Menezes Filho é uma das grandes
expressões da Marinha Mercante Brasileira. Além de atuar ajudando os Alunos nas duas “Escolas
de Formações de Oficiais” do CIAGA e do CIABA, sua trajetória revelam fatos heroicos.
No Comando do Navio “Cairú”, junto à sua valorosa tripulação, com grandeza e correta
percepção de suas responsabilidades perante a nação brasileira, conduziu seu gigantesco navio ao
porto do Golfo Pérsico, contribuindo de maneira significativa para a manutenção da normalidade
da vida.
Na época, as hostilidades entre Iraque e Kuwait estavam acentuadas. O próprio Comandante da
Força do Oriente Médio alertava aos navios mercantes que adentrassem o Golfo Pérsico, que
fariam sob suas inteiras responsabilidades.
Havia os perigos de existências confirmadas de minas flutuantes, além de possíveis ataques de
mísseis de aviões e ações navais de superfície no golfo arábico.
Todos os navios mercantes estavam sujeitos a uma verificação à pequena distância por navios de
guerra para identificação e possível busca ou visita.
Com coragem, patriotismo e no cumprimento do dever, o Comandante Menezes e sua tripulação
navegou e operou no Golfo Pérsico com a mesma determinação características dos homens do
mar, sejam da Marinha de Guerra ou Marinha Mercante.

Há pouco mais de 30 anos, em 22 de Janeiro de 1991, uma matéria sobre esse feito foi publicada
na “Revista Marítima Brasileira”, Edição 216-1.
O heroísmo também teve o reconhecimento da alta autoridade brasileira. O então Ministro de
Estado da Marinha, Almirante de Esquadra Mario Cesar Flores, transmitiu em nome do Presidente
da República Federativa do Brasil, significativa mensagem cumprimentando o Comandante José
Menezes Filho e sua tripulação, “reconhecimento e consideração pelas necessidades brasileiras
dignifica o nosso marítimo e fortalece a ideia de que convém a segurança do país e de seu povo e
a existência de uma Marinha Mercante própria, tripulada por gente nossa”.

O então Imediato CCB José Menezes Filho com sua tripulação

PELO SEU CONTEÚDO, PUBLICAMOS MENSAGEM DO CLC
FRANSCICO CESAR MONTEIRO GONDAR.

Prezado Monteiro,
Bom dia, aqui no Brasil!
Você é de fato um Comandante exemplar e destacado pelos seus trabalhos, pela sua criatividade,
pelo seu empenho e, sobretudo, pelo seu amor à profissão.
Vejo que você, como eu, também possui todos os registros de suas viagens, datas, navios, portos
escalados. Enfim, uma verdadeira história de uma trajetória no mar.
Parabéns Monteiro, você me faz admirá-lo a cada dia.

CLC Gondar com o colunista.

NAVEGANDO

Alerta. Segundo noticiou a revista “Portos e Navios”, o relator da PL da Cabotagem no CAE, a famosa BR do Mar,
recomendou, entre outros pontos, exigência de 1/3 de tripulantes brasileiros, ampliação do uso de recursos da
conta vinculada para 5 anos, prorrogação do Reporto até o final de 2023 e isenção de AFRMM até 2027. No meu
entendimento, menos empregos para marítimos brasileiros e mais empregos para estrangeiros dentro de nossas
águas jurisdicionais.

Conforme informações do corretor de petroleiros do Reino Unido, Sr. Gibson estima que cerca de 1/4 da frota de
navios tanques petroleiros se aproxima da aposentadoria, ou seja, entre 20% e 30% tem mais de 15 anos,
próximos da idade de retirada de operação nos próximos anos.

O Capitão de Longo Curso Alvaro José de Almeida Junior agradeceu ao colunista pela publicação de seu livro na
edição anterior. Mesmo em alto mar, tivemos nessa semana uma valorosa conversar onde atualizamos sobre as
notícias de nosso setor. Uma pena que nem todas foram boas. Assim como ele, estamos torcendo para que dias
melhores venham; com mudanças, pelo menos.

O Comandante Alvaro realizou a abertura oficial do “1º Fórum Brasileiro de Inteligência Oficial para Navios” que
se iniciou ontem e vai até a data de hoje. Também participa do Fórum o Capitão de Longo Curso Plínio Calenzo, 1º
Vice-Presidente do “Centro dos Capitães da Marinha Mercante” (CCMM).

Continua repercutindo de forma positiva a ação social ocorrida em Padre Miguel sob a coordenação da
“Academia Brasileira de Medalhística Militar” (ABRAMMIL). Muitas pessoas de baixa renda foram beneficiadas
com projetos sociais. Ver o sorriso delas não tem preço. Nota 10.

No meio aquaviário teremos importantes comemorações durante os meses de Setembro e Outubro. No final do
mês será realizada a celebração do Dia Marítimo Mundial, com homenagens a diversas personalidades do setor.
Em outubro, o CIABA fará mais um aniversário.
CLC Gondar com o colunista.

A Marinha do Brasil atua de maneira eficaz em resgate de embarcações e seus tripulantes, quando os serviços são
acionados. No último dia 09 de Setembro, o Navio-Patrulha “Guanabara” efetuou o resgate de um tripulante
enfermo de embarcação pesqueira no Pará, a 110 Km da costa. Imediatamente o “Salvamar Norte” respondeu o
chamado e contribuiu para que mais uma vida fosse preservada.

O “Serviço de Busca e Salvamento da Marinha” tem a missão de prover o salvamento de pessoas em perigo no
mar e no interior da área marítima de responsabilidade brasileira, contando com o apoio de navios de socorro,
podendo valer-se de outros navios e aeronaves da Força, bem como embarcações de entidades privadas e órgãos
governamentais, acionadas por uma estrutura de auxílio mútuo marítimo.

Durante a Segunda Guerra Mundial, entre 10 e 13 de Novembro de 1943, as Frotas para invasões das Ilhas Gilbert
saíram de Pearl Harbour e de New Hebrides. Já no dia 26 de Dezembro, na Batalha do Cabo Norte, o navio de
guerra britânico “Duke of York” afundou o cruzador alemão “Scharnhorst” que tentava interceptar o comboio
ártico JW55B. No fim de 1943, a Alemanha tinha, de fato, perdido a Batalha do Atlântico.

Atenciosa página de jornal foi enviada pelo Coronel da Reserva Wladimilson Godinho de Moraes Filho quando
nomeado para o Comando de Policiamento Regional I, que abrange os municípios do Baixo Amazonas, como
Alenquer, Belterra, Monte Alegre, Oriximiná, dentre outros. Isso ocorreu no ano de 2010, através da Portaria
556/2010- GAB-CMD, do Comando Geral da Polícia Militar do Pará. Relembrar também é viver. Parabéns ao
Coronel Godinho por ter cumprido sua missão junto à sociedade.

Durante a Operação “Ágata”, a Capitania dos Portos do Estado do Amapá realizou mais de 350 abordagens, sendo
feitas 44 notificações, 12 apreensões e 18 testes de etilômetro. Além disso, folders educativos de segurança da
navegação e sobre Covid-19 foram distribuídos aos Comandantes, tripulantes e passageiros das embarcações que
trafegam nas localidades dos munícipios de Macapá, Santana, Mazagão e Vitória do Jari.

Os avanços nas tecnologias marítimas são fenomenais nos dias de hoje. O que vemos nos filmes, navegantes se
orientando apenas pelas posições das estrelas, indo a um mundo desconhecido, nos dias atuais seguem rumos
fixos e posições instantâneas. Navegar é uma arte. Não é a toa que as “EFOMM’s” formam Bacharéis em Ciências
Náuticas.

O colunista sempre recomenda seus Oficiais de Náutica a aprenderem, relembrarem e realizarem os cálculos de
navegação astronômica, seja pelo sol, lua, estrelas e planetas. Equipamentos eletrônicos podem falhar ou perder
sinais, devido algum problema elétrico ou de automação. Já os astros, sempre estarão no céu para nos auxiliar.

(RM). ricardo.monteirobr@hotmail.com

Via @luiscelsoborges

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios