PLANETÁRIO “ALMIRANTE DE ESQUADRA LUIZ LEAL FERREIRA” É INAUGURADO NO CIABA.

Coluna ¨Convés Principal¨- (CLC) - Ricardo Monteiro

Descerramento da Placa do Planetário “Almirante de Esquadra Luiz Leal Ferreira”

A Cerimônia de Inauguração do Planetário “Almirante de Esquadra Luiz Leal Ferreira”, no
CIABA (Centro de Instrução Almirante Braz de Aguiar), realizada no dia 06 de Dezembro, foi
presidida pelo Comandante de Operações Navais, Almirante de Esquadra Alípio Jorge Rodrigues
da Silva, acompanhado do Almirante de Esquadra Marco Antônio Olsen, CON designado. Contou
ainda com as presenças dos Ministros do Superior Tribunal Militar (STM), AE Leonardo Puntel e
AE Celso Luiz Nazareth, dos VA Valter e Edgar (ex e atual Comandante do 4º Distrito Naval), VA
Salgueirinho (DPC) e VA Lima Filho (Presidente do Tribunal Marítimo).
A nossa “Universidade do Mar”, subordinada ao Comando do 4º Distrito naval, contará com essa
nova estrutura que apoiará na formação escolar dos futuros Oficiais da Marinha Mercante
Brasileira.
Os idealizadores do projeto, composto por ex-alunos do CIABA, através de uma grande parceria,
tornaram possível a construção do Planetário, dentre alguns citamos o Capitão de Longo Curso
José Menezes Filho e o Prático Reginaldo Pantoja.
O nome do Planetário foi escolhido em homenagem ao Almirante Luiz Leal Ferreira, que
Comandou o 4º Distrito Naval entre os anos de 1980 e 1982, período em que o CLC Menezes e
Pantoja cursaram, respectivamente, o APNT e o Fundamental do CIABA, sendo um grande
incentivador do Ensino Profissional Marítimo (EPM).
Na cidade de Belém do Pará, esse será o 2º Planetário existente, fazendo parte do rol de recursos
instrucionais do Departamento de Simuladores do CIABA.

Autoridades Civis e Militares presentes na inauguração do Planetário.

O Planetário possui sete metros de diâmetro, capacidade para 35 pessoas, com poltronas
reclináveis e avançada tecnologia de projeção de imagem realista em alta definição.
Os Alunos do Curso de Náutica agora poderão contar com mais uma estrutura para
aperfeiçoamento dos conhecimentos adquiridos em sala de aula, na disciplina “Navegação
Astronômica”.
O projetor, por ser digital, tem um programa que pode passar qualquer filme como se fosse uma
tela de cinema. Possui 10 filmes para projetar em 360º sobre astronomia. As imagens também
podem ser exibidas diretamente de sites como da NASA, da Agência Espacial Europeia e outros.
Em virtude da situação epidemiológica atual, o evento teve a participação apenas do pessoal
envolvido.
Por esse magnífico legado construído no CIABA, a coluna envia um efusivo “Bravo Zulu” aos exalunos CLC Menezes e aos Práticos Pantoja, Marcelo Salgado, Almir, Benedito, Reis, Bernardes,
Coelho e Vítor. (Fotos: Assessoria de Comunicação Social – CIABA e CLC Menezes).

Estrutura do Planetário.

Idealizadores do Projeto: Capitão de Longo Curso José Menezes Filho e Prático Reginaldo Pantoja.

CLC JOSÉ MENEZES FILHO EM SEU DISCURSO DE
INAUGURAÇÃO DO PLANETÁRIO.

CLC Menezes em seu discurso.

Exmo. Sr. AE Alípio Jorge Rodrigues da Silva, CON; Exmo. Sr. AE Leonardo Puntel, Ministro do STM;
Exmo. Sr. AE Celso Luis Nazareth, Ministro do STM; Exmo. Sr. AE Marcos Sampaio Olsen, CON
nomeado; Exmo. Sr. VA Valter Citavicius, Ex-Comandante do 4º DN; Exmo. Sr. VA Edgar Luiz
Siqueira Barbosa, Comte 4DN; Exmo. Sr. Sergio Renato Berna Salgueirinho, Diretor de Portos e
Costas; Exmo. Sr. Wilson Pereira de Lima Filho, Presidente do Tribunal Marítimo, Ilmo. Sr. CMG
Josué, Comandante do CIABA, Ilmos. Práticos e colegas como ex-alunos deste Centro, CLC Monteiro,
CLC Hildelene, Consultor e representante da Arpel no Brasil, grande amigo Marcus Lisbôa e alunos da
EFOMM.
Agradeço a oportunidade de poder dirigir algumas palavras neste momento marcante da história
deste CIABA, que é a inauguração de um Planetário.
É um momento marcante não só por tudo que pode oferecer um local com recursos para visualizar o
céu e seus misteres, mas também por coincidir com o 140° ano do nascimento do Almirante Braz de
Aguiar, que deu nome a este Centro de Instrução.
Este Almirante fez parte da Primeira Comissão de Demarcação de Limites, órgão do Ministério das
Relações Exteriores, e pelo excelente trabalho realizado não lhe faltaram reconhecimentos tanto em
vida quanto “post mortem”.
Pra que alguém tenha um reconhecimento em nível nacional como o teve Braz de Aguiar é por que
muito realizou. E, dentre as muitas realizações, destaco uma que é pertinente ao motivo que nos faz
estar aqui, na inauguração de um planetário no Centro que leva o nome dele.
Essa realização que convém ressaltar é a que exigiu dele conhecimentos de astronomia, pra definir
com precisão a demarcação de terras, o que o levou a recorrer às estrelas pra obtenção da exata
posição geográfica de onde estavam.
Esta afirmação que faço está baseada no livro da historiadora Moema Resende Vergara (pósdoutorada no Museu de Astronomia e Ciências Afins).
Na obra dessa autora sobre a Primeira Comissão de Demarcadora de Limites, em que Braz de Aguiar
participou, consta um capítulo dedicado às observações astronômicas. E numa resenha sobre esse
capítulo tem o seguinte trecho “…tais observações astronômicas são fundamentais para a
determinação das coordenadas geográficas….”.
Logo, constatamos essa coincidência entre os conhecimentos necessários utilizados por Braz de
Aguiar pra realizar seus trabalhos com o que estudam os alunos da EFOMM para poderem “Singrar o
mar imenso e fascinante, orientados pelos astros do universo”, conforme cantam em seu belo hino.
Assim, no contexto da ciência utilizada por Braz de Aguiar pra definir com precisão as fronteiras do
nosso país e as disciplinas que aprendem os alunos deste Centro, temos a certeza de que haverá
uma significativa melhoria no aprendizado dos alunos pelo que possibilitará este planetário, como por
exemplo:
– os alunos terão como saber que céu/astros poderão ser vistos numa determinada data ou local. Ou
seja: é possível exibir o mesmo céu que os nautas de Cabral avistavam no mês de abril de 1500. Da
mesma forma poderão saber que céu veriam se estivessem navegando no Mediterrâneo, no mar da
China ou no Golfo Pérsico.
Quanto a este planetário – estrutura física e modernos equipamentos com recursos digitais de última
geração – não posso deixar de registrar neste momento os dois principais motivos que levaram exalunos deste Centro como eu, e os práticos Pantoja, Marcelo Salgado, Almir, Benedito, Reis,
Bernardes, Coelho e Vitor a nos unir pra viabilizar a sua construção:
– em primeiro lugar um forte sentimento de gratidão à Marinha do Brasil pelo esmero com que ela
cuida da nossa formação e aperfeiçoamento. E, nós creditamos o sucesso que obtivemos em nossa
vida profissional ao preparo que recebemos durante a formação e posteriormente reforçado nos
cursos de aperfeiçoamento.
– em segundo lugar, pelo amor à navegação adquiridos, na solidão dos mares, durante os quartos de
serviço em que apreciávamos por noites e noites seguidas o planetário real que é o céu que o nosso
bom Deus proporcionou à todos os habitantes deste planeta.
E nós, privilegiados por sermos navegadores, não só o contemplávamos, mas também interagíamos
com ele e, graças aos conhecimentos adquiridos nos bancos escolares deste CIABA, nós obtínhamos
a posição do nosso barco e aferíamos as agulhas de bordo, com os cálculos diários do Azimute.
Assim, nós ex-alunos, estamos muito felizes por estar aqui presentes vivenciando neste evento, sob
forte emoção, a inauguração deste Planetário por sabermos o quanto ele será importante pra todos
os alunos deste Centro de Instrução, já que todos saem daqui formados com o título de bacharéis em
ciências náuticas, em cuja grade curricular não pode faltar conhecimentos sobre os astros que desde
os primórdios da navegação sempre serviram de guia para orientar aos que se aventuravam no mar.
Porque a escolha do nome AE Luiz Leal Ferreira.
Para explicar os motivos que levaram à escolha do AE Luiz Leal Ferreira pra dar nome a este
planetário.
Pra isso voltemos ao ano de 1982 quando por cerca de 9 meses, de março à dezembro, eu fiz aqui
neste Centro o curso de aperfeiçoamento pra Capitão de Cabotagem.
Naquele ano, na EFOMM, o Comandante Aluno era um jovem muito inteligente e muito vibrante com
a carreira que abraçara, o atualmente Prático da Barra do Rio Grande, Reginaldo Pantoja, com quem
interagia não só nos intervalos de aulas como em conversas sobre a carreira no mar. E também
naquele ano, o Comandante do 4º DN era o então VA Luiz Leal Ferreira.
Eu, na condição de aluno do curso de aperfeiçoamento lembro muito bem o quão acolhedora foi a
maneira com que aqui fui recebido e tratado. É algo inesquecível. Me permitam citar: “eu morava
num dos camarotes de oficiais que ficavam no Prédio do Comando deste Centro. E, frequentemente
eu era convidado para eventos/solenidades realizados aqui no CIABA; frequentava o clube
Espadarte; e cheguei a fazer curtas viagens num dos navios patrulha (Napaco). Assim, com essa
significativa interação com os oficiais não só deste centro, mas também do 4ºDN, podia avaliar o
estilo de comando do então VA Leal Ferreira. Até porque, dois dos assistentes dele (CCs Paulo José e
Ari Costa Coimbra) faziam parte do salutar convívio da Praça D’Armas e dos eventos festivos no
Espadarte. 

Como sabemos a sólida carreira do AE Leal Ferreira continuou a todo pano e ele foi promovido à
Almirante de Esquadra, e neste posto, além de ter ocupado vários cargos à este posto inerentes, ele
foi alçado, antes de ir pra reserva, à Ministro do Superior Tribunal Militar.
Certamente não sabemos os mistérios do que ocorre após a morte, mas o Almirante Luiz Leal
Ferreira, que ora homenageamos dando o nome a este planetário, deve ser também bastante feliz
pela brilhante carreira que fez o seu filho, Eduardo Bacellar Leal Ferreira que também alcançou o
posto de AE e também, como o pai, antes de ir pra Reserva foi designado para o importante cargo de
Comandante da Marinha.
E porque citar o filho do nosso homenageado neste evento? Certamente não é pela brilhante carreira
que fez na Marinha, mas sim por algo em comum que nos liga: ambos, eu e ele, somos aficionados
por navegação astronômica. E, obviamente, pra nós há não dúvidas do que um planetário
proporciona: “conhecimentos que reforçam o aprendizado dessa navegação que tão útil será quanto
mais se souber sobre os astros”.
Esta apaixonante disciplina que é da minha predileção como um nauta que fui (com mais de 25
viagens feitas ao Japão e mais de 40 ao Golfo Pérsico) é também da predileção do Alte Leal Ferreira,
pois este, pelo inquestionável saber, foi instrutor dessa cadeira na Academia em Anápolis (USA). Por
esta função exercida, constata-se também uma significativa diferença de conhecimentos entre nós.
Daí, a minha reverência ao Alte Leal Ferreira.
Por último, e não menos importante, queria deixar registrado o incondicional apoio a este projeto
pelo Exmo. Sr. VA Valter Citavicius, que – desde que tomou conhecimento da possibilidade de dotar a
sua OM subordinada com algo tão relevante, não apenas para o CIABA, mas para a região que
passará a ter o mais moderno Planetário da Amazônia – deu total carta branca ao COMTE Josué pra
que desse adiante no citado projeto.
Assim, com esse imprescindível aval do Alte. Valter, o COMTE Josué foi incansável na busca para
eliminar as barreiras e os possíveis óbices que poderiam dificultar, ou até mesmo inviabilizar,
estarmos aqui neste momento. A sua equipe de abnegados oficiais da área de ensino, liderada pelo
CC Neto, SE, apoiado pela Tenente Janize, uma guerreira aprestada 24 horas, os 7 dias da semana,
foram decisivos para que o nosso objetivo fosse atingido.
Assim, com toda essa energia deste 4º DN/CIABA voltada para o projeto, onde nem mesmo a
pandemia foi capaz de desestimulá-los, podemos afirmar que nós, idealizadores e colaboradores
deste projeto, tivemos um papel secundário diante da participação da Marinha pra concretização
desse sonho.
Finalizo reiterando o agradecimento ao Exmo. Sr. AE Alípio Jorge, CON não só por presidir esta
cerimônia mas por todo o incentivo dado desde que tomou conhecimento da nossa intenção de
construirmos este planetário, e que neste momento é inaugurado com a presença dos também AE
Puntel; AE Nazareth; AE Olsen; e os Comte do 4DN VA Valter e VA Edgar; VA Salgueirinho e VA Lima
Filho. Fiquem certos senhores Almirantes que as suas estrelas tornaram o céu deste CIABA ainda
mais brilhante e ainda mais significativo este evento.
Obrigado.
JOSÉ MENEZES FILHO
CLC/CMD MM/

HOMENAGEM DA COLUNA PARA O SR. MARCUS LISBÔA.

Da esquerda para direita: CLC Menezes, Sr. Marcus Lisbôa e o colunista.

As homenagens de hoje irão para o Sr. Marcus Lisbôa, que por muito tempo exerceu as atividades de
Oficial de Náutica da Marinha Mercante Brasileira.
Atualmente desempenha as funções de Consultor em Derrames de Hidrocarbonetos da “ARPEL”
(Associação Regional de Empresas do Setor de Petróleo, Gás e Biocombustíveis na América Latina e
Caribe) e Inspetor credenciado dos Clubes P&I no Brasil.

Ele, juntamente com seu grande amigo CLC José Menezes Filho, esteve presente na Cerimônia de
Passagem de Comando do 4º Distrito Naval e Inauguração do Planetário “Almirante de Esquadra Luiz
Leal Ferreira” em 06 de Dezembro de 2021 no CIABA.

NAVEGANDO

Para aqueles que não acreditavam, o que seria impossível aconteceu. A Câmara dos Deputados confirma 2/3 da
obrigatoriedade de tripulantes brasileiros na “BR do Mar”. Agora o PL 4.199/2020 segue para sanção pelo
Presidente da República Jair Bolsonaro.

O relator do PL, Deputado Federal Sargento Gurgel (PSL-RJ) voltou atrás na Emenda 6, aprovada pelo Senado, em
que tirava emprego dos brasileiros para dá aos estrangeiros. Também grande participação teve a Deputada
Federal Jandira Fegalli na aprovação. A classe marítima respira, mas com alerta.

A Conttmaf e o Sindmar, representado pelo Capitão de Longo Curso Carlos Augusto Müller, no cumprimento do
seu dever com a nação brasileira, lutaram arduamente para que a emenda fosse derrubada. A categoria marítima
enviou votos de sucessos, parabenizando-o por acreditar que era possível conseguir a reversão.

A Carta escrita pelos Comodoros da Marinha Mercante, divulgamos na coluna e em diversos meio da mídia
nacional e internacional, teve grande repercussão na “BR do Mar”. Parabenizamos os Comandantes que, juntos,
lutaram pelos direitos dos marítimos brasileiros navegarem em nossas águas jurisdicionais.

O grande amigo Fábio André Lobato estará bordejando na próxima semana na Cidade das Mangueiras, em visita
familiar e festas natalinas. Ele que é Diretor da “Anchor Treinamentos” sediada no Rio de Janeiro e atuação
nacional na área offshore e onshore, além de ser Oficial da Reserva do Quadro da Armada da Marinha do Brasil.
Estaremos provando o famoso “filhote no tucupi” no próximo encontro.

O Coronel da Reserva da Polícia Militar do Pará Wladmilson Godinho de Moraes Filho ficou bastante emocionado
com a matéria do seu casamento publicada na coluna “Navegando no Social” do nosso amigo Luis Celso.
Juntamente com sua esposa Gleice Duarte Vieira Godinho de Moraes, já se vão 20 anos de casados. O garoto
Enzo Godinho tem belos pais. Parabéns ao amigo!

Embarcação RSV “CBO Wave” foi importada da Noruega para operar entre 2022 e 2025 para a Petrobrás. Este
será o 5º RSV da frota da companhia e irá operar em águas profundas. Com isso, o grupo passará a contar com 41
navios.

O Almirante de Esquadra Alípio Jorge Rodrigues da Silva, que ontem passou o Comando de Operações Navais,
estará assumindo o cargo de Conselheiro Militar na Missão Permanente do Brasil junto à Organização das nações
Unidas – Genebra, na Suíça. Bons ventos e mares a favor do amigo!

Já o Almirante de Esquadra Marcos Sampaio Olsen, novo Comandante de Operações Navais, o colunista deseja
boma missão em defesa da nação brasileira e da Marinha. Ele que esteve recentemente em Belém na Cerimônia
de Passagem de Comando do 4º Distrito Naval.

Projeto cria transponder capaz de reduzir 80% dos acidentes envolvendo embarcações no Pará. Apoiado pelo
Programa Startup, da Secretária de Ciência e Tecnologia do Estado, fica previsto a redução do número de colisões
envolvendo embarcações na região, onde é bastante considerável.

Após as formaturas dos novos Praticantes Oficiais da Marinha Mercante, tanto o CIAGA quanto o CIABA agora se
preparam para recebem os candidatos Alunos para os períodos de adaptações que devem se iniciar em janeiro de
2022. Sucesso àqueles veteranos que participação e daqueles que entrarão pelos portões dos Centros de
Instrução.

Um dos colegas de turma que até hoje se encontra em atividades no atletismo, desde a época de escola, é o
Oficial de Máquinas Renato Pinto da Silva, o famoso “Renatão”. Ele que passou pelas Espcex e Aman. Hoje presta
relevantes serviços à Marinha Mercante Brasileira. Inclusive ganha várias medalhas nas modalidades em que
disputa, sendo os 100 metros rasos sua especialidade.

As autoridades egípcias declararam estado de emergência no Canal de Suez com a nova passagem do navio “Ever
Given”. A embarcação bloqueou o canal em março após ficar atravessada. Desta vez, bem mais pesada, com
destino a Rotterdam, procedente da China, a passagem se deu de forma tranquila. A declaração de emergência
teve o objetivo de garantir a navegação segura.

Lendo uma parte importante do livro de Napoleon Hill, intitulado “As 16 Leis do Sucesso”: “Temos uma vantagem
extraordinária sobre aqueles que nos ofendem: o direito de lhes perdoar, ao passo que eles não possuem esse
privilégio”. Pessoas que estão por baixo tendem a parecer como “gatinhos com carinha de anjo e miando”, porém
quando assumem posturas que os favorecem, atuam como reis e donos da verdade.

Correção: o Calendário de Eventos feito pela Diretoria de Planejamento da “Academia Brasileira de Medalhística
Militar” (ABRAMMIL) se refere a 2022, conforme noticiamos na edição anterior.

FONTE: (RM) ricardo.monteirobr@hotmail.com

Por (LCN) @luiscelsoborges

luiscelsoborges@hotmail.com

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios