Dia da Marinha Mercante Brasileira

Ordem do Dia Nº 6/2021

Com muita honra e alegria, celebramos no dia 28 de dezembro o dia da
Marinha Mercante Brasileira. Essa importante data para a comunidade marítima e para
o país foi escolhida por carregar grande simbolismo no âmbito do desenvolvimento da
economia brasileira, pois é a data de nascimento de Irineu Evangelista de Souza, o
Visconde de Mauá, patrono da nossa Marinha Mercante.

Nascido em 1813, em Arroio Grande, RS, então Jaraguão, Mauá foi um importante banqueiro, industrial e empreendedor visionário, com valioso conhecimento adquirido ao longo de sua jornada de vida. Sua estreita relação com o mundo marítimo
se iniciou quando, ainda jovem, rumou para o Rio de Janeiro acompanhando o seu o,
José Basta de Carvalho, um comandante da Marinha Mercante. Mais tarde, esteve na
Inglaterra num momento de vigorosa ascensão econômica daquele país, no auge da
Revolução Industrial. Ao retornar para o Brasil, percebeu, de forma pioneira, o enorme
potencial de crescimento econômico do nosso País pelas vias marítimas. Entretanto,
para tal, seriam necessários incentivos e investimentos para o desenvolvimento do seu
transporte marítimo.

Assim, diversas realizações foram desenvolvidas por ele, em especial a
criação do Estabelecimento de Fundição e Estaleiros Ponta da Areia, em 1846, em
Niterói, que se tornou futuramente o famoso Estaleiro Mauá, considerado o berço da
construção naval do Brasil Imperial. Este empreendimento não só gerou grande
empregabilidade à época como, posteriormente, com os avanços tecnológicos
alcançados, trouxe para o nosso País grande visibilidade mundial no que diz respeito à
indústria naval, abrindo caminho para outras iniciavas e para o crescimento econômico
deste importante setor.
Na linha do tempo do desenvolvimento da Marinha Mercante Brasileira,
em particular da navegação de cabotagem, devido à forte influência do mar e de suas
atividades econômicas correlatas na formação da sociedade brasileira, foram criados a
Companhia de Navegação Lloyd Brasileiro, a Companhia Nacional de Navegação Costeira
e a Companhia de Comércio e Navegação.
Durante os conflitos mundiais passados pelo nosso País, não podemos
deixar de enaltecer a relevante participação da Marinha Mercante Brasileira, em
especial, a dedicação e a coragem de seus tripulantes, os quais demonstraram
tenacidade para manter o transporte de insumos essenciais à nossa sociedade durante
o esforço de guerra, não deixando de suspender com seus navios para cumprir sua
missão de contribuir com a nação brasileira num momento de crise, a despeito de todos
os perigos que a navegação marítima trazia naqueles tempos.
O Brasil é um país indubitavelmente marítimo, sendo detentor de uma
área marítima com mais de 5,7 milhões de km², a Amazônia Azul, por onde transita cerca
de 95% do nosso comércio exterior e onde concentra 97% da produção nacional de
petróleo. Ademais, mais de 80% da população brasileira vive atualmente a menos de
200 quilômetros da costa do País. Por essa razão, é mister enaltecer a importância da
Marinha Mercante Brasileira para a sociedade e o seu papel fundamental e estratégico
na economia nacional, gerando empregos e induzindo melhorias na infraestrutura e nos
serviços portuários.
A importância dessa pulsante Instituição ficou ainda mais evidenciada
durante o recente período do Estado de Emergência Sanitária, provocado pela pandemia
da COVID-19, quando a economia brasileira necessitou demonstrar toda a sua força,
sendo logisticamente sustentada pelo transporte marítimo, o qual manteve-se em pleno
funcionamento, sem nunca ser interrompido ou reduzido. Por meio dos nossos
profissionais dos mares, os quais foram submetidos a diferentes regimes de embarque,
objetivando a redução do contágio do vírus a bordo, a atividade marítima manteve-se
em pleno funcionamento. Nossa produção do agronegócio e o suprimento dos insumos
energéticos foram transportados por um setor pujante que não esmoreceu perante os
desafios impostos e demonstrou toda a sua capacidade de contribuição para o
desenvolvimento econômico do nosso País.
Ressalto, também, que nesse contexto o transporte marítimo mundial foi
considerado pela Organização das Nações Unidas (ONU), uma atividade essencial,
assumindo papel de destaque e sendo responsável pela manutenção de mais de 80% do
comércio global durante a pandemia, incluindo transporte de suprimentos médicos
vitais e alimentares, extremamente necessários para recuperação da humanidade.
Por fim, parabenizo os profissionais da Marinha Mercante Brasileira, de
todas as categorias e de todos os tempos, os quais dedicam e dedicaram grande parte
de suas vidas singrando mares e rios, sejam calmos ou bravios, transportando as riquezas
da esperança do nosso povo.

Parabéns, Marinha Mercante Brasileira!

SERGIO RENATO BERNA SALGUEIRINHO
Vice-Almirante
Diretor de Portos e Costa

Fonte: ASC- Marinha do Brasil

Por (LCN) @luiscelsoborges

luiscelsoborges@hotmail.com

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios