Assunção do Cargo de Comandante de Operações Navais, palavras iniciais e ordens em Vigor

COMANDO DE OPERAÇÕES NAVAIS

Almirante de Esquadra MARCOS SAMPAIO OLSEN Comandante de Operações Navais e LUÍS CELSO BORGES Editor do Site.

  ¨Nomeado pelo Decreto Presidencial, de 22 de novembro de 2021, e em cumprimento
ao disposto na Ordem de Serviço nº 04-39/2021, do Comandante da Marinha, assumo, na
presente data, o cargo de Comandante de Operações Navais¨

Rio de Janeiro, RJ, 16 de dezembro de 2021

PALAVRAS INICIAIS

Senhoras e Senhores, bem-vindos a bordo do Capitânia! “A MINHA, A SUA, A NOSSA
MARINHA”.
A engrandecida estatura político-estratégica do Brasil impõe abastar o Poder Naval de
uma condição plausível de capacidades operacionais, que assegure o requerido e permanente
exercício da soberania e a consecução dos objetivos nacionais, por obra da grandeza
econômica, do protagonismo regional e das legítimas aspirações do País. Ademais, faz-se
imperioso, ao atentar para o entorno estratégico, manter severa vigilância sobre as Águas
Jurisdicionais Brasileiras e controlar, eficazmente, as calhas e margens de nossos rios e águas
interiores.
Assim provocado, manifesto a ledice e o orgulho por ostentar, hasteada no tope do
mastro principal do Capitânia ou no lais da verga de boreste, o pavilhão do Comandante de
Operações Navais, sendo o que encerra o controle e a execução das atividades imprescindíveis
ao aprestamento e ao adequado emprego da Força.
O ensejo mostra-se, por óbvio, apropriado para expressar gratidão:
– Ao Comandante da Marinha, pelo agraciamento ao designar-me para conduzir o
alicerce da defesa nacional, missão constitucional precípua da Marinha do Brasil. Reafirmo ao
Senhor o meu respeito e lealdade e renovo o compromisso com a observância estrita do dever,
plenamente cônscio do alcance e responsabilidade inerentes ao cargo;
– Ao ex-Ministro da Marinha Almirante de Esquadra ALFREDO KARAM, bom
companheiro e belo amigo, por um inestimável legado de princípios, valores, homens e
máquinas, que ora guarneço; e na pessoa de quem saúdo os insignes Chefes Navais, de modo singular, os Comandantes de Operações Navais, “Senhores da Guerra”, que me antecederam,
exemplos a inspirar proa segura. Registro especial menção aos exímios “Marinheiros até
debaixo d’água”, por oportuna reverência ao saudoso “Velho Marinheiro” Almirante de
Esquadra FERNANDO EDUARDO STUDART WIEMER, arquétipo da paciente e silenciosa arte da
caça;
– Às autoridades dos Poderes Executivo, Legislativo, Judiciário e Eclesiásticas, aos irmãos
de armas, às demais autoridades presentes ou representadas, aos prezados amigos, senhoras e
senhores, pela distinção e prestígio;
– Destaco particular apreço às Turmas José de Alencar (CMF-78) e Almirante Álvaro
Alberto (GM-82); carreguem a minha elevada consideração, respeito e imensurável afeto; e
– À estimada Marcella, que aqui guarda a profunda significação de família, o meu público
reconhecimento por uma vida de entrega e desmedida compreensão das minhas faltas.
Ao dileto amigo e experimentado Marinheiro Almirante de Esquadra – Conselheiro –
ALIPIO JORGE RODRIGUES DA SILVA, agradeço a fidalguia no trato e o irrepreensível
profissionalismo com que me transmitiu o cargo. Receba os mais caros votos de realizações,
extensivos à sua esposa, MARA, e filhas, estimando pleno êxito no cargo de Conselheiro Militar
na Missão Permanente do Brasil junto à Organização das Nações Unidas, em Genebra.
Dirijo-me, enfim, a Marinheiros e Fuzileiros, embarcados e tropa. Sei bem a índole que
forja o caráter das senhoras e senhores. E reitero: ser Marinheiro é provar, por absoluto,
profundo conhecimento profissional, habilidade técnica, boa higidez e moral elevado. É preciso
ser tenaz na verdadeira acepção do termo e dedicar ao serviço tudo: a saúde, o tempo, a
inteligência e o risco constante da vida, ainda que em meio à paz. Assevero-lhes a minha
permanente disponibilidade e diligência no exercício do comando.
Concito-os, também, a perseverar no cumprimento da nobre destinação dos Homens do
Mar em consonância às Tradições Navais, zelando pelo engrandecimento profissional e por um
cordial relacionamento pessoal e de camaradagem. É uma honra ter por dever conduzi-los.
Por derradeiro, rogo ao Senhor dos Navegantes e Padim Ciço Romão Batista que me
concedam o discernimento justo das coisas e que nos abençoem generosamente a singradura.
Nós somos os sentinelas dos Mares
Do glorioso Brasil (…)
Tudo pela Pátria!’ Avante a Navegar! (…)
O Brasil espera
Que cada um cumpra o seu dever’”.
Viva a Marinha!

ORDENS EM VIGOR
Permanecem em vigor todas as ordens emanadas de meu antecessor.

MARCOS SAMPAIO OLSEN
Almirante de Esquadra
Comandante de Operações Navais
LÚCIA MURRER DE F. STURTZ
Capitão de Corveta
Assistente

Fonte: ACS/CON

Por (LCN) @luiscelsoborges

luiscelsoborges@hotmail.com

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios