Queda em Chicago faz soja ter dia de preços mistos. Veja cotações

Três praças têm aumento nos preços, outras três ficam em queda e mais duas têm estabilidade. Confira

O mercado físico brasileiro de soja teve uma segunda-feira de ritmo lento na comercialização, com alguns negócios isolados, mas sem grandes volumes envolvidos. Os preços ficaram mistos, diante da queda na Bolsa de Chicago (CBOT) ter sido contrabalançada pela alta do dólar.

– Passo Fundo (RS): a saca de 60 quilos subiu de R$ 169,50 para R$ 170,50

– Região das Missões: a cotação avançou R$ 170,00 para R$ 171,00

– Porto de Rio Grande: o preço passou de R$ 175,00 para R$ 176,00

– Cascavel (PR): o preço diminuiu de R$ 168,00 para R$ 166,00 a saca

– Porto de Paranaguá (PR): a saca foi de R$ 173,00 para R$ 171,00

– Rondonópolis (MT): a saca se manteve em R$ 155,00

– Dourados (MS): a cotação passou de R$ 157,50 para R$ 157,00

– Rio Verde (GO): a saca seguiu em R$ 155,00

Soja em Chicago

Os contratos futuros da soja negociados na Bolsa de Mercadorias de Chicago (CBOT) fecharam a segunda-feira com preços mais baixos. Em dia volátil, as perdas predominaram em meio a um movimento de realização de lucros.

O Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) deve elevar a sua estimativa para os estoques de passagem de soja dos Estados Unidos em 2021/22. O relatório de dezembro do  Departamento será divulgado na quinta (9), às 14h.

Analistas consultados pelas agências internacionais apostam em estoques de 353 milhões de bushels, contra 340 milhões de bushels indicados no relatório de novembro.

Em relação ao quadro de oferta e demanda mundial da soja, o mercado aposta em estoques finais 2021/22 de 104,3 milhões de toneladas, contra 103,8 milhões estimados em novembro. Para 2020/21, a previsão deverá subir de 100,1 milhões para 100,4 milhões de toneladas.

As inspeções de exportação norte-americana de soja chegaram a 2.246.664 toneladas na semana encerrada no dia 2 de dezembro, conforme relatório semanal divulgado pelo USDA. O mercado apostava 2,09 milhões de toneladas.

Os contratos da soja em grão com entrega em janeiro fecharam com baixa de 5,75 centavos de dólar por bushel ou 0,45% a US$ 12,61 1/2 por bushel. A posição março teve cotação de US$ 12,66 por bushel, com perda de 4,75 centavos ou 0,37%.

Nos subprodutos, a posição janeiro do farelo fechou com baixa de US$ 6,00 ou 1,67% a US$ 352,60 por tonelada. No óleo, os contratos com vencimento em janeiro fecharam a 57,86 centavos de dólar, com alta de 0,64 centavo ou 1,11%.

Câmbio

O dólar comercial encerrou a sessão em alta de 0,28%, sendo negociado a R$ 5,6930 para venda e a R$ 5,6910 para compra. Durante o dia, a moeda norte-americana oscilou entre a mínima de R$ 5,6370 e a máxima de R$ 5,7020.

Fonte: Agência Safras – Canal Rural

Por (LCN) @luiscelsoborges

luiscelsoborges@hotmail.com

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios