UBS Fluvial de Cametá se aproxima de 100 mil atendimentos em menos de um ano

Coluna Navegação em Foco - Jornal O Liberal - Quinta-feira

O município de Cametá vem chamando a atenção pela assistência básica de saúde. A UBS Fluvial navega pelo
Rio Tocantins levando atendimento
para as mais de 300 comunidades
ribeirinhas que concentram 60% da
população cametaense. Segundo a
prefeitura, a UBS realiza cerca de 3 mil
atendimentos por semana. Em operação desde março, estima-se que tenha
beneficiado mais de 84 mil pessoas.
A embarcação está equipada com
consultórios para atendimentos médico
e odontológico, além de realizar realizar exames laboratoriais e de imagem.
O principal objetivo destas ações é prevenir. Não podemos deixar as pessoas
adoecerem para enfrentarem dificuldades de transporte em busca de atendimento de urgência na cidade”, defende
o prefeito Victor Cassiano.
A UBS é, ainda, grande aliada no
combate à pandemia em Cametá. A
prefeitura aplicou mais de 50 mil doses
de vacina contra covid-19, ajudando na
imunização completa de pessoas que
vivem nas regiões mais distantes. Com
estas ações, está sendo possível manter
controlados os número de novos casos
e mortes no município.

DE PRATICANTE DE OFICIAL DE NÁUTICA
À SUPERINTENDENTE DA FRONAPE

Com glamour, aniversariantes do mês de outubro comemoram,
em 1978, a bordo do “José Bonifácio” tendo
o Comandante Ronaldo,esposa e filha como anfitriões

Ainda jovem, aos 24
anos, o capixaba Ronaldo
Cevidanes Nunes Machado
concluiu o curso de Oficial
de Náutica, em 1954, e, no
mesmo ano, ingressou no
quadro de Marítimos da Frota Nacional de Petroleiros, a
FRONAPE, da Petrobras. Entrou como 2º Oficial de Náutica. Dez anos depois, já era
Comandante.
Na década de 70, o Comandante Ronaldo foi convidado a receber os primeiros navios “Very Large Cargo
Carrier”, os famosos VLCC
– navios de 337 metros de
comprimento por 54 metros
de boca. Entre eles, estava
o lendário “José Bonifácio”,
que foi lançado ao mar em
setembro de 1973. A viagem
inaugural aconteceu em janeiro de 1974.
O Comandante assumiu o
comando do “José Bonifácio”
em julho de 1974. Na primeira viagem como comandante, teve como imediato o Capitão de Cabotagem Menezes
que também viria a comandar o navio..
No período que comandou o “José Bonifácio”, de
1974 a 1996, o navio foi referência na Marinha Mercante
Brasileira e era considerado
uma verdadeira escola. Todos
os marítimos que tiveram a
honra de fazer parte da tripulação tornaram-se grandes profissionais. Até hoje se
reúnem para comemorar o
aniversário do navio.
Um detalhe especial dessa
época: quando estavam na
rota Brasil/Japão, nas manobras de saída e chegada
nos portos, os tripulantes
usavam o uniforme azul, de
gala. Aos domingos, todos de
branco para almoçar. Era servido filé, camarão e lagosta. Foi neste período que Ronaldo
escreveu o livro “A Rota da Solidão”, que retrata a memória
do Transporte Marítimo no
Brasil. Vale dizer que, atualmente, o “José Bonifácio” foi
transformado na plataforma
P-35 e está em operação na
Bacia de Campos/RJ.
Lembrando que de 1996
a 2000, o Comandante Ronaldo Cevidanes assumiu a
Superintendência Geral da
Fronape. Implantou, na empresa, o ISM CODE, e os ISO
9000 e ISO 14000. Atualmente, é consultor do Presidente
da Transpetro. 

MARES & RIOS

Ainda em 1977, quando cumpria o primeiro mandato como Prefeito de Moju, Oton
Gomes de Lima já falava sobre a implantação
de um porto no município para embarcar minério. Ele se baseava na existência do Porto
da Serraria do Salame, que ficava à margem
do rio Moju. Não saiu em Moju, mas em Barcarena. Hoje, é o Complexo Portuário de Vila
do Conde. Oton foi prefeito até 1981 e é pai
do atual Chefe da Casa Civil do Governo do
Pará, Iran Lima

Aliás, a operação de Reflutuação do
Navio Haidar no Porto de Vila do Conde está muito próxima de chegar ao final. Pois,
mais da metade do navio já está flutuando
(foto).

Por conta da resolução nº 6 do Conselho Nacional de Imigração, os navios “Rya
Rad”, “Trombetas”, “White Whale” e “Amberjack”, de bandeiras estrangeiras, afretados para a empresa de navegação Norsul, já
contam com Marítimos Brasileiros nas tripulações. São Oficiais de Náutica e Máquina. Sendo assim, mais uma opção de embarque para os brasileiros, os navios operam nas linhas Porto Trombetas ou Juruti
para o Terminal da Alumar, em São Luís/
MA transportando bauxita.

Uma das cenas mais clássicas da aviação
amazônica deverá voltar a acontecer em breve. A Força Aérea Brasileira (FAB), através da
Comissão de Aeroportos da Região Amazônica (COMARA), anunciou que está concluída
a obra de reforma e ampliação da pista de
Estirão do Equador. Com isto, o avião C-130
Hercules poderá fazer pouso e decolagens no
meio da floresta, ao lado da fronteira com o
Peru, após 10 anos.

Os Práticos Pedro e Alvim da ZP-1, logo
após desembarcarem do navio “Hafnia Lotte”, no canal do Pracaubas, em Macapá/AP,
participaram de uma faina de salvamento.
Da lancha, avistaram o que parecia ser um
náufrago. Mais de perto, perceberam que era
um leitão. Graças às habilidades do marinheiro Celestino, foi possível laçar o pequeno
suíno e resgatá-lo em segurança.

(CNF) (LOP) luizopinheiro@globo.com

Via (LCN) @luiscelsoborges

luiscelsoborges@hotmail.com

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios