Demonstrações operativas e exposição marcam cerimônia do Dia da Independência

Coluna Navegação em Foco - Jornal O Liberal

Fuzileiros navais e mergulhadores de combate em
demonstração operativa da Marinha

Uma cerimônia restrita a
autoridades e convidados, no
Palácio da Alvorada, deu início
às comemorações pelo 199º
aniversário da Independência
do Brasil. Além do cerimonial
à Bandeira Nacional, o roteiro
incluiu demonstrações operativas e exposição de meios militares e de órgãos públicos do
Distrito Federal.
O Presidente da República,
Jair Messias Bolsonaro, desfilou
no Rolls-Royce presidencial até
o mastro em frente ao Palácio,
onde assistiu, junto ao público,
aos militares da equipe de salto
livre da Brigada de Infantaria
“Os Cometas” saltarem da aeronave C-105 Amazonas, da Força
Aérea Brasileira (FAB).
O evento continuou com a
demonstração operativa da
Marinha, unindo ações de fuzileiros navais e de mergulhadores de combate, que simularam uma infiltração para
recuperar artefato de interesse
nacional. Os militares realizaram a descida do helicóptero
UH-15 “Super Cougar”, usando
a técnica fast rope, resgataram
o objeto e retiraram em Carros Lagarta Anfíbios (CLAnf).
Uma exibição de acrobacias da
Esquadrilha da Fumaça encerrou a comemoração.
A Marinha também participou de exposição de meios
operativos, com blindados do
Corpo de Fuzileiros Navais e
embarcações da Capitania Fluvial de Brasília, usada em patrulhas nas águas interiores

DE GUARDA-MARINHA A COMANDANTE
DO 4º DISTRITO NAVAL

Comandante Alípio Jorge atento à manobra

O Almirante de Esquadra, Alípio Jorge,
que esteve em Belém por
diversas vezes, tornouse paraense de coração,
sendo condecorado cidadão belenense pela
Assembléia Legislativa
do Pará (ALEPA). Quatro
vindas foram marcantes: a primeira vez por
aqui foi em 1980, em
viagem de instrução a
bordo do Navio “Custódio de Melo”; em 1988,
quando servia na Fragata
“União”, na função de Encarregado da Divisão de
Operações, e teve a oportunidade de participar
da primeira atracação
de uma Fragata na Base
Naval de Val-de-Cães; A
terceira vez já foi como
Capitão de Corveta, no
comando do Navio Patrulha Fluvial “Raposo
Tavares” (foto), quando
fez a docagem no Dique
da Base Naval. Por fim,
em agosto de 2015, como Vice-Almirante, retornou
a Belém para assumir o
Comando do 4º Distrito
Naval, onde permaneceu
até julho de 2017.
Após regressar ao
Rio de Janeiro como Comandante em Chefe da
Esquadra, foi promovido ao posto de Almirante de Esquadra, sendo
hoje o Comandante de
Operações Navais da
Marinha do Brasil. No
registro, o Almirante de
Esquadra, Alípio Jorge,
ainda como Capitão de
Corveta, no comando do
navio patrulha “Raposo
Tavares”, em 1997, durante a manobra no dique da Base Naval.

MAIS UMA HISTÓRIA DO PRÁTICO ROCHA

Prático Rocha pronto para comandar mais uma
viagem no navio da Marinha do Brasil

A Marinha do Brasil
sempre requisitou os
serviços dos Práticos
para conduzir navios
durante passagens pelo Rio Amazonas. Até
os anos 80, o serviço
era requisitado para
quase todos os navios
em viagens, incluindo
as corvetas e os navios
hidrográficos. Com isto,
havia um relacionamento muito grande entre
Práticos da época e oficiais da Marinha.
A partir dos anos 80,
os Práticos passaram
a ser requisitados apenas para atender os navios de grande porte,
em especial, os naviostransporte de tropas
“Ary Parreiras”, “Soares Dutra”, ”Barroso
Pereira” e navio escola
“Custódio de Melo”.
O nosso Prático Rocha sempre era requisitado para realizar as
viagens dos navios pelo
rio Amazonas. Na foto,
o Prático Rocha a bordo
do navio “Ary Parreiras”, atracado no porto
de Belém, em 1986, momentos antes de iniciar
mais uma viagem.

MARES & RIOS

O Prático da Bacia Amazônica, Raimundo Teixeira, realiza um grande trabalho social
com cães abandonados. Tamanha é a dedicação à causa que transformou um sítio dele,
em Santa Isabel, em um abrigo para cerca de 300 animais. O espaço conta com veterinário
e cuidadores em tempo integral. Parabéns pela iniciativa!

Os tripulantes do Navio N/T
que tem como realizaram evento a bordo em comemoração ao 199º Aniversário da
Independência do Brasil. Além do
cântico do Hino da Independência, diversas atividades esportivas foram realizadas. (foto)

Passar o feriado de 7 de setembro longe de casa e da família nunca é fácil. A saudade bate
forte, mas representar o Brasil no
exterior é motivo de orgulho. A
coluna faz homenagem aos nossos Oficiais que estão compondo
a Combined Task Force 151, em
Bahrain, no Golfo Pérsico, atualmente sob o comando do Contra
-Almirante André Luiz Andrade Felix (foto)

(CNF) luizopinheiro@globo.com

Via (LCN) @luiscelsoborges

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios