Veja o que ditará os rumos da soja na próxima semana

Por Agênca Safras

Surpreendido pelos números da Crop Tour no cinturão agrícola dos EUA, players ainda devem se preocupar com a redução na mistura do biodiesel norte-americano e impactos da variante delta no mercado financeiro

Os números da Pro Farmer, responsável pelo evento que percorre o cinturão agrícola dos EUA, a possível redução na mistura do biodiesel no país e os impactos da variante delta (Covid-19) no mercado financeiro são os principais fatores a influenciar as negociações da soja na próxima semana. Os players desse mercado estão atentos aos números da safra norte-americana, e ficaram surpresos com os relatórios da caravana que visita as principais lavouras dos Estados Unidos.

O tradicional Crop Tour, da Pro Farmer, realizado entre 17 e 20 de agosto, trouxe números surpreendentes sobre a safra americana. Com produtividades médias acima do esperado em alguns estados-chave, a nova safra norte-americana foi projetada em 120,56 milhões de toneladas, bem acima da estimada pelo USDA em seu relatório de agosto (118,09 milhões de toneladas).

Tal fato trouxe uma nova pressão negativa para o mercado em Chicago, que não esperava por uma diferença tão grande entre os números do USDA e da Pro Farmer. Resta saber, após a finalização da colheita, qual é o verdadeiro tamanho da safra dos EUA. O que o tour indica, também, é que os estados que não tiveram problemas climáticos nesta temporada devem registrar produtividades acima da média, o que pode acabar compensando boa parte das perdas produtivas dos estados do norte do cinturão.

Embora estejamos na reta final do desenvolvimento da nova safra, o clima ainda é fator importante para as lavouras de alguns estados do cinturão produtor norte-americano. Os mapas para os próximos 7 dias apontam para uma maior umidade em todo o cinturão, principalmente na metade norte, região que mais necessita de umidade. É possível que o retorno das chuvas impeça que as perdas registradas nas Dakotas, Minnesota e Iowa aumentem, além de melhorar o rendimento das lavouras em bom estado, o que também é um fator negativo para
Chicago.

O analista Luiz Roque, da Safras & Mercado, acrescenta duas observações ao cenário atual, que deve ditar os rumos das negociações na próxima semana:

  • Chicago também sentiu a pressão de um rumor que aponta que a Agência de Proteção Ambiental dos EUA (EPA, na sigla em inglês), deve recomendar ao governo norte-americano a redução da mistura obrigatória de biodiesel em combustíveis fósseis diante dos problemas econômicos derivados da pandemia. Em se confirmando, tal ação pode trazer uma redução importante na demanda por esmagamento de soja nos EUA nos próximos meses. Atenção para os desdobramentos relacionados a este rumor.
  • Fechando o quadro negativo, o mercado financeiro teve uma semana nervosa diante do avanço da variante delta ao redor do mundo e dúvidas relacionadas à retomada econômica mundial. Fundos aproveitaram para realizar lucros em várias commodities, incluindo a soja, o que ajudou a pressionar as cotações. 

Fonte: Agência Safras

Via (LCN) @luiscelsoborges – luiscelsoborges@hotmail.com

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios