ABRAMMIL REALIZA SUA 15ª ENTREGA DE CONDECORAÇÕES A INSTITUIÇÃO.

Coluna ¨Convés Principal¨ -CLC-Ricardo Monteiro

Em especial Cerimônia ocorrida em 03 de Agosto de 2021 no Auditório do “Banco de Desenvolvimento de Minas
Gerais” (BDMG), em Belo Horizonte (MG), a “Academia Brasileira de Medalhística Militar” (ABRAMMIL) realizou
sua 15ª Edição da Entrega de Condecorações a Instituição.
O evento, conduzido pelo Acadêmico Benemérito Régis Lermen, atual Presidente da ABRAMMIL, contou com as
presenças do Vice-Governador de Minas Gerais Paulo Brant, do Coronel Rodrigo Sousa Rodrigues, Comandante da
Polícia Militar (MG) e seu Estado Maior, além de autoridades e personalidades civis e militares.
As seguintes condecorações foram entregues a 17 homenageados: Medalha da Ordem do Mérito da Abrammil – Grau
Comendador (02), Medalha de Mérito Presidente Juscelino Kubschek (04), Medalha Tributo à Batalha de Montese
(04), Medalha de Mérito Marechal Castelo Branco (04) e Medalha de Mérito Cívico Militar (03).
Atualmente diversos Oficiais da Marinha Mercante são Acadêmicos Eméritos e Titular da Abrammil
O colunista parabeniza os homenageados pelas conquistas das altas condecorações de honra da Academia.

O Vice-Governador de Minas Gerais, Paulo Brant e o Coronel Régis Lermen (ABRAMMIL).

PELO SEU  ESPECIAL CONTEÚDO, PUBLICAMOS MENSAGEM NA ÍNTEGRA.

Comandante Ricardo Monteiro,
Inicialmente gostaria de parabenizar você pela
elaboração da sua coluna “Convés Principal”, onde
se encontra realçadas as notícias relevantes da
nossa Marinha Brasileira dignas de serem ressaltadas
publicamente.
Desejo ainda, externar minha gratidão pela marcante
notícia que você tão gentilmente publicou na sua 16ª
edição relacionada com minha trajetória profissional
junto a nossa Gloriosa Marinha.
Sinto-me honrada em informar que este belo
noticiário servirá para o enriquecimento do meu
acervo profissional e pessoal.
Bom dia!
Selma

XXXV VIAGEM DE INSTRUÇÃO DE GUARDAS-MARINHA É
INICIADA NO NAVIO-ESCOLA “BRASIL”.

O Navio-Escola “Brasil” partiu para mais uma de suas viagens de instrução. No dia 04 de Agosto
de 2021, ao desatracar da Base Naval do Rio de Janeiro (RJ), deu-se o início para os GuardasMarinha a prática dos aprendizados teóricos durante a formação acadêmica na Escola Naval.
A “XXXV Viagem de instrução dos Guardas-Marinha”, como é batizada, terá escala em
diversos portos nacionais e internacionais, levando a Bandeira Nacional às mais diferentes nações
amigas, num período em torno de 6 meses.
Ao término da Viagem de Ouro, os Guardas-Marinhas serão declarados Segundo-Tenente, sendo
remanejados para as mais diversas Organizações Militares da Marinha no país. Atualmente, a
Escola Naval, forma Oficiais de três diferentes Corpos: Armada, Fuzileiros Navais e Intendentes
da Marinha.
A bordo, estão 180 Guardas-Marinha, entre eles 11 do sexo feminino e um estrangeiro de
Honduras, da Turma “Capitão-Mor Jerônimo de Albuquerque”.
Também estão embarcados diversos convidados do Exército Brasileiro, da Força Aérea
Brasileiras, da Marinha Mercante Brasileira, além de outras Marinhas como a Alemã e
Camaronesa.
Aos Guardas-Marinha e convidados, desejamos boa sorte, na certeza que vossos familiares e a
nação brasileira estarão ansiosos pelo vosso breve retorno.

NAVEGANDO

O colunista pôde rever vários colegas de trabalho atuando no Terminal de Suape. Muitos estiveram embarcados
nas mais diversas Unidades. Hoje prestam seus serviços em auxiliar a segurança dos navios e suas operações. A
essas pessoas, o meu fraternal abraço.

Também a bordo do NT “André Rebouças”, encontramos vários tripulantes que já estiveram sob o Comando do
colunista em outras Unidades. Teremos novamente a grata surpresa de poder trabalhar juntos, com a certeza de
que faremos mais um bom embarque e, se Deus quiser (sabemos que Ele vai nos ajudar), iremos desembarcar na
volta do exterior.

Palavras sábias de Thomas Jefferson, mentor da declaração de independência dos Estados Unidos da América,
que professou a seguinte opinião: “Sempre que um homem desejar o cargo, sua conduta começa a deteriorarse”. Conhecemos na vida muitos nessa condição, desejando cargo ou temendo perdê-lo. São burocratas que
sonham com ganhos não meritórios. Portanto, olho vivo.

O Almirante de Esquadra Claudio Portugal de Viveiros assumiu lugar no Superior Tribunal Militar no dia 05 de
Agosto de 2021, substituindo o Almirante de Esquadra Marcus Vinicius de Oliveira Santos, que agora irá desfrutar
de sua aposentadoria, depois de relevantes serviços prestados à nossa nação. O Almirante Viveiros tem grande
conhecimento no Poder Marítimo, uma vez que foi Diretor de Portos e Costas pelo período de 11 de Abril de 2013
a 14 de Agosto de 2015, onde desempenhou com desenvoltura essa importante função, tendo bom
relacionamento com a Comunidade Marítima. Desejamos boa sorte como Ministro do “STM”.

Nesta data estão previstos 4 leilões portuários da Antaq. São eles localizados nos Estados do Amapá, Alagoas,
Ceará e Salvador. Algumas são bastante conhecidas, como a área do Porto de Santana (AP) na região amazônica,
que é utilizada para granéis sólidos vegetais, como o farelo de soja. Estima-se investimento em torno de R$ 148
milhões.

O “Portal da Navegação” agora totalmente repaginado tem como slogan “Conectando a Amazônia ao Mundo”,
com grandes notícias da região norte do país, além de informações nacionais e internacionais. Nosso amigo Edson
Sabbá trabalha para que as informações sejam sempre de primeira linha, contando com grandes colunistas, que
além dele, também estão presentes o Prático Luiz Omar Pinheiro, o professor Renã Margalho e este colunista
que debuta nessa nova função.

Na Segunda Guerra Mundial, os navios heróis desconhecidos da “Royal Navy” eram os saveiros lentos, as fragatas
e as corvetas, que somavam bem mais de mil. Essas embarcações realizaram o cansativo e tedioso trabalho de
mar e da escolta costeira, muitas vezes com mais eficiência que os glamorosos destroieres.

Nessa guerra, a Marinha Japonesa era formidável e bem treinada. Quando atacou Pearl Harbour, sua esquadra
contava com 10 navios de combate, 10 porta-aviões, 38 cruzadores, 112 destroieres e 65 submarinos. Dos 451
navios de guerra que foram derrotados pelo Japão, 332 foram afundados.

O nosso muito estimado Vice-Almirante (RM2) Wilson Pereira de Lima Filho, Presidente do Tribunal Marítimo,
ministrou importante palestra com o tema “Tribunal Marítimo e a Segurança da Navegação” no canal youtube
da “OAB RJ Leopoldina”. O evento foi em comemoração ao mês de advocacia.

O colunista teve a grata surpresa de rever o NT “Oscar Niemeyer” no porto de Suape. Esse navio gaseiro é o meu
“xodó” como dizia o saudoso amigo Alyrio Sabbá. Em conversa cordial com seu atual Comandante, CLC De Paula,
que é um grande amigo, fez um pedido para cuidar bem dessa embarcação. Ele gentilmente retribuiu afirmando
que está a “todo vapor“.

Só para relembrar, o NT “Oscar Niemeyer” ganhou a maior premiação da Transpetro em 2016, logo no seu
primeiro ano de entrada no tráfego, o “Navio-1000 2016”, além de ter recebidos Oficiais Superiores da Marinha
de Guerra, quando de suas estadias no porto de Belém. Entre eles estavam o Capitão de Mar e Guerra Fábio da
Silva Andrade, no Comando do “Centro de instrução Almirante Braz de Aguiar”, e o Capitão de Mar e Guerra
Aristide de Carvalho Neto, Capitão dos Portos da Amazônia Oriental. Hoje os dois estão na reserva e são grande
amigos do colunista.

O grande amigo Capitão de Longo Curso Francisco Cesar Monteiro Gondar enviou palavras generosas e
motivadoras de congratulações nessa nova etapa de embarque no NT “André Rebouças”, desejando as benções
de Deus nas grandes águas. Amigo gente boa que nunca nos esquece. Agradeço pela mensagem, nobre
Comandante.

Comentando sobre este navio, na viagem anterior ao exterior, realizou escalas em Cingapura (abastecimento),
Dalian-China (descarga de óleo crú), Singapura (abastecimento), Fujairah-Emirados Árabes Unidos
(abastecimento) e Basrah-Iraque (carga de óleo crú), retornando posteriormente ao Brasil.

Em qualquer local de trabalho, seja no mar ou em terra, em organizações públicas ou privadas, a segurança é
responsabilidade de cada um. Todos têm o dever de se manterem íntegros, cumprindo sempre os procedimentos
conforme descritos. Um simples deslize poderá ser o estopim para que ocorra um acidente ou incidente. Afinal de
contas, o trabalho bem executado serve para evitar o estresse. Devemos ter nossas tarefas sendo realizadas com
zelo e eficiência, sempre gostando e não ser mais um problema a levar para casa. Quem trabalha sob pressão,
poderá desenvolver um problema na qual a sociedade está acordando para o assunto: saúde mental.
(RM).

(LCN) Twitter: @luiscelsoborges

luiscelsoborges@hotmail.com

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios