A Exportações de café da safra 2020/2021 são as maiores da história

Maior volume de toda a série histórica do café chegou 45,59 milhões de sacas de 60 quilos, montante é 9,19% superior do embarcado na temporada 18/19, último recorde anterior

As exportações brasileiras de café na temporada 20/21 atingiram um novo recorde, somando 45,59 milhões de sacas de 60 quilos (grão verde, torrado e solúvel entre jul/20 e jun/21, o maior volume de toda a série histórica do Cecafé, iniciada em 1990, e 13,3% acima do embarcado na temporada 19/20. Até então, a maior quantidade embarcada pelo Brasil, de 41,4 milhões de sacas, havia sido registrada em 18/19.

Segundo pesquisadores do Cepea, o recorde esteve atrelado especialmente à alta produção na safra 20/21 e ao dólar elevado frente ao real, combinação que, além de estimular produtores a exportar, também eleva a competitividade do café brasileiro no mercado internacional.

No Brasil, os preços do arábica e do robusta avançaram nos últimos dias, impulsionados pelas valorizações externas de ambas as variedades, o que, por sua vez, ocorreu devido às perspectivas de menor produção em 21/22 e da chegada de uma frente fria significativa nas regiões cafeeiras no último fim de semana. Para o arábica, a alta foi mais expressiva na sexta-feira (16), quando o Indicador Cepea/Esalq do arábica tipo 6, bebida dura para melhor, posto na capital paulista, teve ganho de R$ 40,74/sc no dia, fechando a R$ 875,45/sc. O cenário mais positivo atraiu um bom número de vendedores ao mercado, permitindo o fechamento de negócios.

 O Indicador Cepea/Esalq do arábica tipo 6, posto na capital paulista, fechou a R$ 902,64/sc, forte alta de 7,8% frente à terça anterior, dia 13. Para o robusta, o Indicador Cepea/Esalq do tipo 6 peneira 13 acima fechou a R$ 549,48/sc, avanço de 5,5% frente ao dia 13.

Altas externas e restrição vendedora elevam preços do algodão

Os preços do algodão seguem em alta no Brasil, influenciados pelos aumentos externos (paridade de exportação, Índice Cotlook A e taxa de câmbio) e pela restrição de vendedores no mercado doméstico – de acordo com colaboradores do Cepea, os agentes continuam atentos à colheita da nova temporada e ao cumprimento de contratos. Além disso, os estoques da temporada anterior são considerados baixos, com maior disponibilidade de produto de qualidade inferior, o que dificulta as negociações.

Entretanto, indústrias brasileiras estiveram mais ativas nos últimos dias, elevando os valores ofertados pela pluma, na tentativa de atrair vendedores ao mercado spot. Nesse cenário, o Indicador Cepea/Esalq, com pagamento em 8 dias, fechou a R$ 5,0826/lp na terça-feira (20), alta de 0,82% frente ao fechamento do dia 13. Na parcial do mês (até o dia 20), o aumento é de 8,34%.

Fonte: Cepea

(LCN) @luiscelsoborges

luiscelsoborges@hotmail.com

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios