DNIT avança com monitoramento hidroviário do Rio Madeira

Levantamento fornece suporte técnico para execução de intervenções no canal navegável

O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) está avançando com a execução do Plano de Monitoramento Hidroviário (PMH) do Rio Madeira. Por meio do PMH, a Autarquia consegue monitorar as condições de navegação e atualizar as principais informações de profundidade ao longo do canal navegável do rio. É a partir desses dados que são realizados estudos para planejar intervenções na hidrovia como sinalização, dragagem e decorragem.

O PMH do Rio Madeira foi contratado no primeiro semestre de 2021 e dividido em três lotes: o primeiro fica entre Porto Velho (RO) e Humaitá (AM) e tem extensão de 245 km; o segundo fica entre Humaitá (AM) e Auxiliadora (AM), com 250 km de extensão; e o terceiro fica entre Auxiliadora (AM) e a foz do rio Madeira, com 568 km de extensão.

No lote 1, já foram instaladas quatro estações fluviométricas e os marcos geodésicos (pilares de concreto com coordenadas geográficas precisas). Atualmente, estão em execução os levantamentos batimétricos margem a margem, sendo que as medições de vazão – com o uso de equipamentos ADCP – e a coleta de amostras de sedimentos em suspensão e leito também já estão finalizadas. O término desta etapa, chamada primeira campanha de campo, está previsto para este mês.

Nos lotes 2 e 3, todos os marcos geodésicos já foram implantados, e as instalação de quatro estações fluviométricas estão previstas para este mês. A primeira campanha de batimetria de margem a margem foi finalizada em junho e, atualmente, as equipes trabalham na segunda campanha de levantamento batimétrico. Além disso, assim como na primeira campanha, está prevista a coleta de amostras de sedimento em suspensão e de leito.

PMH – O Programa de Monitoramento Hidroviário (PMH) tem como objetivo o monitoramento da situação das principais vias navegáveis brasileiras, ao longo de seu ciclo hidrológico, pelo período de cinco anos.

Por meio dos levantamentos, o programa pode proporcionar uma operação mais eficiente e segura das principais vias navegáveis e fomentar contratações com menor nível de incertezas, de maior eficiência e condizentes com as singularidades de cada uma das vias navegáveis.

Os serviços de monitoramento no Rio Madeira contribuem para o efetivo crescimento do modal hidroviário na matriz de transportes nacional. As equipes do DNIT trabalham para tornar a operação mais confiável e segura para os seus usuários, com reflexos positivos no transporte de cargas da região.

Hidrovia do Madeira – O Rio Madeira é um dos principais eixos logísticos do norte do país e integra o Arco Norte, região que compreende os estados do Acre, Rondônia, Amazonas, Pará, Mato Grosso e Tocantins. Ele permite o escoamento de safras pelo Rio Amazonas e seus afluentes da margem direita, que correm na direção sul-norte, dos cerrados do centro do país para a floresta Amazônica.

Pelo rio é feito o escoamento de produção agrícola, principalmente soja e milho de Mato Grosso e Rondônia, e também de insumos como combustíveis e fertilizantes, com destino a Porto Velho e Manaus. Também são transportados alimentos e produtos produzidos na Zona Franca de Manaus.

Fonte: Coordenação-Geral de Comunicação Social – DNIT

(LCN) @luiscelsonews

luiscelsoborges@hotmail.com

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios