Quase 3.000 confinados a cabines após o caso COVID-19 em cruzeiro em Cingapura

Agência Reuters - Chen LinAradhana Aravindan

CINGAPURA, 14 de julho (Reuters) – Um navio da Genting Cruise Lines em um “cruzeiro para lugar nenhum” voltou a Cingapura após um caso confirmado de COVID-19 em um passageiro, e os quase 3.000 passageiros e tripulantes a bordo ficaram confinados em suas cabines durante a maior parte da quarta-feira.

O passageiro de 40 anos teve um teste positivo a bordo e o resultado foi confirmado depois que a pessoa foi levada ao hospital assim que o navio atracou na manhã de quarta-feira, disse o Conselho de Turismo de Cingapura, após a detecção do caso suspeito.

“O passageiro foi identificado como um contato próximo de um caso confirmado em terra e foi imediatamente isolado como parte dos protocolos de saúde a bordo”, disse o conselho em um comunicado.

Os passageiros disseram que descobriram o caso suspeito em um anúncio por volta da 1h e foram convidados a ficar em seus quartos desde então.

A indústria global de cruzeiros sofreu um grande golpe com a pandemia do coronavírus, com alguns dos primeiros grandes surtos ocorrendo em navios de cruzeiro em águas asiáticas.

Cingapura, que viu relativamente poucos casos domésticos de COVID-19, lançou “viagens de ida e volta” em navios de luxo em novembro, sem escala durante alguns dias de navegação.

O cruzeiro World Dream tinha 1.646 passageiros e 1.249 tripulantes a bordo e todos eles foram obrigados a permanecer em suas cabines com refeições sem contato enviadas a eles, de acordo com a Dream Cruises, uma parte da Genting Cruise Lines.

O hóspede suspeito de ter COVID-19 teve resultado negativo em um teste rápido de antígeno obrigatório, antes da partida do navio para um cruzeiro de três noites no domingo.

Os três companheiros de viagem do passageiro infectado deram resultado negativo e foram isolados enquanto o rastreamento de contato estava sendo feito, disse o conselho de turismo.

Apenas a tripulação de serviço essencial com equipamento de proteção individual tinha permissão para movimento limitado dentro do navio, disse Dream Cruises.

UM POUCO RARO DE ACONTECER’

O passageiro Rishi Lalwani disse que ficou surpreso com o caso positivo, dados os testes e medidas de distanciamento social em vigor para o cruzeiro.

“A situação do COVID em Cingapura parecia amplamente contida, então, sim, um caso em um cruzeiro de 1.700 convidados parecia um pouco raro de acontecer. Especialmente porque não há casos em cruzeiros para lugar nenhum há meses”, disse Lalwani.

Os cruzeiros para lugar nenhum, restritos aos residentes de Cingapura, tornaram-se populares durante a pandemia, com outras oportunidades de viagem muito limitadas devido às restrições do coronavírus.

Cingapura relatou 56 casos de coronavírus transmitidos localmente na quarta-feira, o maior número de infecções domésticas diárias registradas em cerca de 10 meses. A mídia local, citando autoridades, relatou que o caso no navio fazia parte de um grupo crescente de infecções por COVID-19 associadas a salas de karaokê.

Tan Choon Seng, 51, estava em seu terceiro cruzeiro este ano com alguns amigos quando a má notícia veio, mas pelo menos era quase o fim do feriado, disse ele.

“Agradecemos que isso tenha acontecido à 1h da manhã, então concluímos todas as atividades”, disse Tan em uma sessão online com a mídia organizada pela operadora. Tan disse que estava preocupado com a quarentena, mas ainda faria um cruzeiro novamente.

O desembarque começará quando o rastreamento do contato para o caso positivo for concluído e os contatos próximos receberão ordens de quarentena, disse o STB. Os passageiros teriam que passar por um teste rápido de antígeno obrigatório.

A próxima viagem do World Dream, uma viagem de duas noites com partida na quarta-feira, foi cancelada.

Em dezembro, os passageiros do navio Quantum of the Seas da Royal Caribbean (RCL.N) foram mantidos em suas cabines por mais de 16 horas em Cingapura, após um caso suspeito de COVID-19 a bordo.

Mas isso acabou sendo um alarme falso.

FONTE: Agência Reuters – Reportagem de Chen Lin e Aradhana Aravindan em Cingapura; Escrito por Ed Davies; Edição de Richard Pullin e Mark Heinrich
(LCN) @luiscelsonews
luiscelsoborges@hotmail.com

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios