Terceira fase da Operação “Pão da Vida”. Tem apoio da Marinha do Brasil

Coluna Navegação em Foco, Jornal O Liberal

Os municípios de Anajás, Gurupá,
Melgaço e Portel vão receber, além
de itens de higiene pessoal, cerca de
20 mil cestas básicas nos próximos
dias. A ação faz parte da terceira
etapa da operação “Pão da Vida”, do
programa “Abrace o Marajó”, coordenado pelo Ministério da Mulher,
da Família e dos Direitos Humanos
(MMFDH). A FAEPA, instituição parceira do Programa, viabilizou, junto
com associados, a doação.
Na primeira etapa, foram distribuídas 16 mil cestas básicas e 98
mil itens de higiene à população dos
municípios de Afuá e Chaves, também localizadas no arquipélago.
Na segunda parte, houve a entrega
de 12.500 cestas e 194 mil itens de
higiene aos marajoaras de Portel e
Melgaço.
O apoio da Marinha do Brasil é
fundamental para o sucesso da operação. Cerca de 190 militares higienizaram e embarcaram no Navio
Auxiliar “Pará”, da Marinha, as cestas básicas e os itens de higiene pessoal, seguindo todas as recomendações sanitárias de combate à COVID
19. A coordenação foi do Comando
Conjunto Norte (CCJN), que é formado por integrantes das Três Forças
Armadas.
Historicamente, o arquipélago do
Marajó sofre com minimizar o  sofrimento das famílias Marajoaras em
situação de vulnerabilidade social, a
qual foi agravada pela pandemia do
Novo Coronavírus. Até o momento, os
16 municípios que compõem o arquipélago registraram cerca 21 mil casos
da doença, com mais de 400 mortes.

AS PRATICAGENS TAMBÉM TEM SEU LADO FEMININO.

De todos os marítimos
do mundo, apenas 2% são
representados por mulheres. Até o século XIX, mulher a bordo de uma embarcação era considerada
presságio de mau agouro.
Hoje, as mulheres não só
não viajam como também
compõem a tripulação.
Os números são animadores. Em um ambiente
restrito aos homens, a
procura das mulheres
pelos cursos de formação
de oficiais de Marinha
Mercante no CIABA pode
chegar a 30% do total de
inscritos.
Assim como na Marinha Mercante, que tem
um número considerável
de mulheres na tripulação, o setor de Praticagem vem observando a
presença feminina maior no mercado de trabalho.

RIOS E MARES

A ZP1 da Bacia Amazônica, atualmente, tem três
mulheres trabalhando na
função há mais de cinco
anos. Carla Rocha, Cristina Barros e Romena
Aragon vem se destacando pela competência e liderança. Hoje, desfrutam
de grande respeito pela
comunidade marítima e
são inspiração para outras
mulheres ingressarem no
mercado.

O nível da régua do Rio Amazonas,
em Santarém, no último domingo era de
7,96 centímetros. Com isto, está faltando
somente 0,26 centímetros para igualar ao
ano de 2009, que atingiu 8,22 centímetros
e registrou o maior nível do rio nos últimos anos.
Os “Estreitos de Breves”, no Marajó,
seguem como trecho importante para a
navegação no rio Amazonas. Porém, segundo um armador fluvial, também é o
trecho de maior perigo para as embarcações e tripulantes. A região está vulnerável aos ataques de ratos d’água.
O Porto da Sotave, localizado em Outeiro, deveria ser melhor aproveitado. Tem
ótima estrutura e calado 10 e 60 para operações de médio porte…
Segundo conversas de beira de cais,
em um futuro bem próximo, teremos
novidade sobre a caso “navio Haidar”,
que naufragou em Vila do Conde, em outubro de 2015, com cerca de cinco mil
bois vivos.
Em março de 2021, a Dev Mineração
fez seu primeiro embarque de minério de
ferro da antiga Zamin, no Porto de Santana-AP. A empresa é controlada pela britânica Cadence Mineris, em parceria com
a Indo Sino. Ao todo, 45 mil toneladas de
minério de ferro zarparam do porto de
Santana, no Amapá.
Ainda sobre a Zamin, a KPMG, empresa responsável pela recuperação judicial,
está buscando dados bancários de ex-funcionários e empresários locais para que
o Juiz do caso autorize o pagamento dos
créditos.
A Empresa de Navegação Bom Jesus,
que tem na direção nosso amigo Luís Rebelo, continua a todo vapor operando na
linha de Breves e Portel.
Este ano, o Sistema de Comunicação
Social da Marinha (CCSM) completou 60
anos e tem sua história escrita com muito
profissionalismo e competência. Tamanha
é a importância desta diretoria, foi destacado como diretor o Contra-Almirante
João Alberto de Araújo Lampert.

Na última sexta feira, dia 08 de maio,
a Marinha do Brasil comemorou o dia da
Vitória. Na coluna de quinta feira voltaremos com os detalhes da cerimônia.

Com muita satisfação, recebemos e
agradecemos a mensagem do CLC Ricardo Monteiro: “À nova coluna do também
aquaviário Luiz Omar Pinheiro, desejamos sucessos e continuidade no belo trabalho que o Alyrio nos deixou.” Na quinta
feira, falaremos sobre a grande homenagem feita pelo CLC Ricardo Monteiro ao
nosso saudoso amigo Alyrio.

FONTE: NAVEGAÇÃO EM FOCO

luizopinheiro@globo.com

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios